30.4.10

Consolo às colheradas

Apple Cinnamon Steamed Pudding

A cozinha Britânica tem os seus detractores. Sem a sofisticação e o detalhe da sua vizinha gaulesa ou a exuberância da colorida cozinha italiana, a comida tipicamente britânica é muitas vezes considerada "sensaborona" e pouco imaginativa. Numa palavra, boring. Eu por mim aprecio a simplicidade de alguns pratos e tendo a procurar nos tradicionais puddings uma nota doce que conforte as ocasionais tristezas e alivie as tensões acumuladas: um crumble morno, uma taça de custard ou uma colherada bem servida de um pudding cozido ao vapor. E o sol volta a brilhar. Já para não falar de como o final de uma refeição se ilumina quando se desenforma o pudim e entre bocas cheias de doce, se reatam as conversas e se consola o coração. E a aparência não podia ser mais retro!

A butter based version of steamed pudding

Pudim de maçã e especiarias
Adaptado livremente de BBC Good Food

350g maçãs, descascadas e fatiadas
200g açucar granulado
½ colher chá canela moída
½ colher chá gengibre
125g manteiga sem sal
umas gotas extracto baunilha
2 ovos médios, ligeiramente batidos
175g farinha com fermento

Coza as maçãs fatiadas com 75g de açucar e as especiarias por 2-3 minutos até a fruta começar a amolecer. Remova do lume e reserve.
Pincele com manteiga uma taça à prova de calor de cerca de 900ml de capacidade. Bata a manteiga e o açucar restante até obter uma massa fofa. Junte o extracto e os ovos, um pouco de cada vez, batendo entre as adições. Peneire a farinha e envolva na massa.
Coloque a fruta no fundo da taça, deite a massa por cima e alise a superfície com uma espátula.
Pincele com manteiga um pedaço de papel vegetal ligeiramente maior que o topo da taça. Faça uma prega ao centro e coloque sobre a taça, apertando para este se ajustar à forma. Repita com papel de alumínio e ate os dois com um fio. Coloque a taça dentro de uma panela com 3-4 cm água quase a ferver. (Eu uso um estrado de metal para cozer ao vapor no fundo da panela) Tape e coza durante 75-90 minutos, verificando regularmente que a água não seca. Retire da panela e remova a cobertura (com cuidado, o vapor queima!). Inverta o pudim num prato de servir e cuidadosamente retire a taça. Sirva com crème fraîche, natas batidas ou iogurte grego.

Nota: A consistência é mais próxima de um bolo molhado do que do nosso pudim de ovos, daí a necessidade de servir com iogurte (que foi o que fiz) ou natas. Imagino que com o bom tempo que se avizinha o gelado de baunilha seja o par perfeito.

5 comentários:

  1. tem um aspecto delicioso!...
    very british...
    babette

    ResponderEliminar
  2. Agora que já não é minha professora penso tomei a liberdade de finalmente vir aqui deixar o meu testemunho. Receitas maravilhosas e fotografias que lhes fazem justiça. Parabéns :) Este pudim e as bolachas de aveia (as tais melhores do mundo) estão na minha lista para fazer. E aquele polvo com batata-doce...!

    ResponderEliminar
  3. Ficou muito lindo e deve ter ficado uma delícia.

    Sabe que eu adoro a cozinha britânica, talvez por ter vivido na Inglaterra quando garota. E eu sempre adorei a comida típica, aquela rústica, de bar, principalmente as tortas e pudins salgados, aqueles feitos de miúdos. A torta de rim defumado é uma das minhas favoritas talvez uma das delícias britânicas mais injustiçadas...

    Mas eu tenho estômago volúvel, vulgar, que traça de tudo com prazer. Se não for a cozinha indiana, que não me agrada mesmo, eu comeria o mundo com prazer!


    Bj,

    C.

    ResponderEliminar
  4. nao e o tipico pudim mas esta muito bom.
    tenho nque me atrever
    beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!