19.9.12

Conversas sobre café e uma bavaroise

Bavaroise de café {Crealto}

Que não restem dúvidas. Eu sou uma intrépida amante de café. Gosto dele forte e encorpado. Curto e sem açúcar. Acredito que a melhor forma de saborear um café é solo e sem outros artifícios. Que nada pode ser melhor que um expresso bem tirado. Arábicas, robusta. Umas e outras, muitos encantos e diferentes paladares. Não consigo escolher.

O café perfeito tem muitos segredos. Depende da pressão da máquina, da quantidade de café, da qualidade da água e da destreza do barista. É uma arte dificilmente ao alcance de todos. Ou era, antes da revolução das cápsulas. O momento em que cada um de nós se tornou no barista mais conhecedor e cada café tirado se assemelha ao mais profissional dos resultados. Fico a pensar na magia que cada chávena coroada de creme encerra.

E tenho muitas dúvidas em despejar o precioso líquido numa tigela de gemas e açúcar. Fica-me um sentimento de quase blasfémia. Mas sigo. Em nome de uma coroa de ar a que se chama bavaroise. O mais elegante de todos os pudins. Servido frio.

Bavaroise de café {Crealto}

O esboço desta bavaroise acontece com a apresentação do Crealto*, uma edição limitada da Nespresso, a que assisti recentemente. É com as receitas de cocktails com café de Mauro Colagreco que a ideia se vai formando. E se o café se materializasse em sobremesa?

Assim se chega a uma combinação simples de café e leite, um toque de baunilha e muito ar. Acompanhada de um molho de chocolate branco e das mais lindas phisalis.

* Crealto é um café de intensidade 8 (em 10), com uma torrefacção lenta a baixa temperatura de uma mistura de Arábicas da América do Sul e da Indonésia.

Bavaroise de café {Crealto}



Bavaroise de café com molho de chocolate branco e phisalis

serve 10-12

4 ovos grandes, separados
600 ml leite gordo
200 ml café forte (usei Nespresso Crealto)
100 g açúcar amarelo (ou um pouco mais, a gosto)
10 g gelatina (ou 6 folhas)
1 vagem de baunilha, aberta ao meio

Aqueça o leite. Raspe as sementes e junte ao leite com a vagem de baunilha aberta. Assim que o leite estiver quase a levantar fervura, retire do lume e reserve.

Prepare uma forma canelada com buraco de 23 cm, pincelando com óleo. Retire o excesso com papel de cozinha. (pode também optar por fazer bavaroises individuais)

Numa tigela grande, bata as gemas com o açúcar até obter uma mistura clara e fofa. Junte o café acabado de tirar, aos poucos, mexendo sempre. Faça o mesmo com o leite (já ligeiramente arrefecido) a que retirou a vagem. Volte a colocar a mistura num tacho grande e leve a lume brando até engrossar (sem ferver). Retire do lume e deixe arrefecer. Entretanto bata as claras em castelo com uma pitada de sal. Envolva-as no preparado, com cuidado para não perder o ar mas de forma vigorosa. Verta a mistura na forma preparada e leve ao frigorífico no mínimo 4 horas ou de um dia para o outro.
Para o molho de chocolate, parta 100 g de chocolate branco em bocados, junte 2 colheres de leite e derreta em banho-maria numa tigela resistente ao calor sobre água a ferver (sem a tigela tocar a água). Quando o chocolate começara a derreter, retire do lume e mexa até derreter completamente e arrefecer.

Para servir, retire a bavaroise do frigorífico. Coloque a forma por breves segundos em água muito quente e desenforme sobre um prato. Decore com as phisalis e sirva com o molho de chocolate branco.

12 comentários:

  1. Adoro café mas tenho imensa pena de não o poder beber: fico com um peso imenso no estômago durante vários dias. Assim sendo vou-me contentando com as sobremesas: bolos, gelados, mousses, iogurtes, etc. E fiquei de olho nesta linda bavaroise (que com o molho de chocolate branco deve ser pura tentação!)

    ResponderEliminar
  2. Nao sou grande fa de cafe, mas sobremesas em que o incluam sao geralmente do meu agrado. Nao faz sentido...mas e a realidade. E esta bavaroise tem um aspecto dificil de resisitir.

    Muitos beijinhos

    ResponderEliminar
  3. O cheiro, o sabor do café são das sensações que mais me acompanham. Uma das minhas recordações de infância é o cheiro de café acabado de moer da loja onde a minha mãe o comprava. Vinha em cartuchos de papel verde. Talvez seja por isso que o café seja dos sabores que mais gosto nos doces.

    ResponderEliminar
  4. Soberbo! Adorei a ideia da bavaroise de café e vou de certeza experimentar!

    ResponderEliminar
  5. Eu gosto do aroma, mas bebê-lo... não me sabe bem.
    Já nos doces, adoro café, por isso esta bavaroise tão leve deve chegar-me à boca e trazer sorrisos. :)
    Bjs.

    ResponderEliminar
  6. Eu adoro sobremesas e doces com café e ainda hoje publiquei um que é divinal!!
    Adorei este bavaroise e é uma receita a experimentar com toda a certeza!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  7. Adoro café mas são raras as vezes em que o utilizo para fazer sobremesas.
    Gostei da sugestão. Vou experimentar.
    Beijinhos
    Belinha
    Mundo das Receitas
    http://mundodasreceitas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. Adoro café e costumo usar bastante em sobremesas. Esta bavaroise é mais uma excelente opção.

    ResponderEliminar
  9. Bom, eu juro que já tentei imensas vezes, mas ainda sou daquelas pecadoras que bebe o café com açucar.
    Mas e o que dizer desta fabulosa sobremesa?! Eu adoro café quer em sobremesas quer em pratos salgados. Adoro, adoro, adoro! E esta é sem dúvida um paraíso na boca.

    ResponderEliminar
  10. Eu sou daquelas pessoas que são uma seca.. não fumo, não bebo e não gosto de café! Mas pronto... adoro o cheiro, cá em casa temos uma máquina que até moi o café e sempre que o meu marido bebe fica uma aroma divinal cá por casa! Adorei a receita como sempre e as fotos. um beijo

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!