26.11.12

{da minha estante} Pilaf de trigo bulgur e o Novo Vegetariano

Pilaf de bulgur com grão e feta

Uma estante repleta de livros é sempre uma visão reconfortante. É território familiar e adorado. Adivinha-se aventura e mistério, mil tesouros para descobrir ou simplesmente o retorno ao que se conhece e onde a felicidade já nos encontrou. Quando passamos por perto dessas estantes, os autores sussurram segredos e promessas, em vozes reconhecíveis ou nem por isso. Umas vezes fazemos orelhas moucas e seguimos caminho. Noutras deixamo-nos encantar. São assim as incursões (in)esperadas pelas filas desalinhadas onde esperam palavras e fotografias em forma de livro.

Foi por quase mero acaso que num destes dias me deixei apanhar pelo feitiço do encantador Yotam Ottolenghi. Dedos que percorrem páginas, sorrisos de antecipação, memórias e viagens. E tudo sem sair da minha sala.

O novo vegetariano

O meu primeiro encontro com Ottolenghi aconteceu num dia de chuva, tipicamente londrino, há uns anos atrás. Fiquei-me pela montra da loja de Portobello, à conversa com amigos queridos. Só voltei a pensar no senhor Ottolenghi muito tempo depois. De livro aberto, com vontade de provar tudo perante uma abundância de saladas e vegetais coloridos, foi um pilaf que me ganhou o coração.

O Novo Vegetariano, no original Plenty (abundante), é um livro com múltiplos encantos. Um conforto tanto para quem come como para quem lê e para quem vê. Porque as receitas são guias e não letras paradas, a minha versão serve como refeição e acrescenta leguminosas e queijo. Espero que Yotam Ottolenghi me perdoe a ousadia.

O novo vegetariano de Ottolenghi



Pilaf de trigo bulgur (com grão e feta)
Adaptado de uma receita de Yotam Ottolenghi, O Novo Vegetariano

serve 2, como refeição

2 colheres (sopa) azeite
1 cebola média, em rodelas finas
1 pimento vermelho grande, em tiras finas
1 colher (sopa) polpa de tomate
1 colher (chá) açúcar mascavado claro (ou branco)
1/2 colher (chã) grãos de sementes de coentros
1/2 colher (chã) grãos de pimenta rosa
35 g passas
125 g bulgur
125 ml água
cebolinho picado
100 g grão cozido (opcional)
50 g queijo feta, esmigalhado (opcional)
coentros picados (opcional)

Aqueça o azeite, junte a cebola e o pimento e cozinhe durante cerca de 10 minutos (ou até as rodelas de cebola estarem translúcidas). Acrescente a polpa de tomate, o açúcar, as passas e os grãos de pimenta e de sementes de coentros ligeiramente esmagados. Mexa por 2 minutos e adicione o bulgur e a água. Tempere com flor de sal. Deixe levantar fervura, tape e retire do lume. Deixe repousar durante 20 minutos. Destape, passe com um garfo e rectifique o tempero se necessário.

Sirva morno, com cebolinho picado, como acompanhamento. Se quiser fazer do prato uma refeição, acrescente grão cozido, queijo feta e coentros picados.

14 comentários:

  1. Olá, Suzana! :-)

    Ontem também estive a ver com pormenor este livro. Foi mais uma aquisição para a minha estante. Muito feliz. Gostei bastante do livro e da tua receita.

    Beijinhos,

    Paula

    ResponderEliminar
  2. adorei a receita :) e já andei a "cuscar" esse livro e é fantástico.
    beijinhos e boa semana,
    Addicted
    http://cookaddiction.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Suzana, adoro o Plenty. Tenho em casa numa versão com capa almofadada e muitas vezes abro-o só para me inspirar...

    Eu achava que tinha uma bela colecção de livros de cozinha, mas acho que a tua está um pouquinho mais recheada. E vejo por aí muitos conhecidos meus :)

    ResponderEliminar
  4. Já estive com este livro na mão algumas vezes para o trazer para casa mas ainda não veio. Esta receita é mais um incentivo :)
    Adoro sentar-me no sofá e folhear um livro. Só pelas fotografias já me sinto inspirada :)
    Vejo muitos livros familiares nessa estante :) beijinhos

    ResponderEliminar
  5. Suzana,

    Infelizmente ainda nao tenho esse livrinho na minha estante. Mas vejo-o tantas vezes e em tantos blogs e sites que acabo por achar que devo mesmo de adquirir uma copia. Tal como tu, tambem aprecio ver a minha estante recheada com livros de culinaria, alguns ja nao abro ha algum tempo, mas o que a mim me importa e que os tenho estao apenas ao alcancar da minha mao. E esse pilaf ficou tao lindo e apetitoso.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Eu sou apaixonada por estantes forradas de livros e pelos do Ottolengui. Ainda não tenho o Jerusalem, mas está no topo da lista de Natal! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também já pedi o Jerusalem ao Pai Natal mas não sei se me portei bem o suficiente. ;)

      Eliminar
  7. Adoro o Plenty e o Ottolengui :) Conheci-o o ano passado.
    E deixo-me encantar por ele e pela estante dos livros como tu. Adorei o teu primeiro parágrafo, é o que sinto também :)
    Belo pilaf. Adorei a tua estante, vejo algumas semelhanças.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  8. Amiga Suzana, como eu gosto de uma estante cheia de livros de culinária, e de os ir colecionando.
    E de lá saiem sempre boas sugestões como este prato que nos mostras hoje
    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  9. Xiiiiii... ainda vou a 1/4 dessa estante e cá para mim vou ter que comprar outra estante... vamos a ver se o Pai Natal é generoso.. :)
    Um beijinho e adorei a receita

    ResponderEliminar
  10. Adorei a tua estante :)
    Até apetece ir até aí passar a tarde para poder fruir de toda essa leitura :)
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  11. Nunca experimentei bulgur. Se calhar é desta, aproveitando a tua sugestão.
    E essa estante de livros é invejavel ! :)

    ResponderEliminar
  12. Olé achava eu que tinha muitos livros de culinária mas tu estás mais recheada estás sim :) É um dos meus vicios tão bons! adoro :) Tb tive com esse livro na mão, acho que vou ter de lhe pegar outravez, um beijo bom fim de semana

    ResponderEliminar
  13. Parece apetitoso. Estou numa fase pouco avessa a mudanças, novidades. Mas apeteceu-me provar bulgur ;) a ver se me contrario ;)))
    Babette

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!