16.10.14

Challah ou o pão entrançado da união

Challah

A cozinha tem andado parada, preterida por dias longos de trabalho e pouca disponibilidade mental. O forno vai sendo ligado com receitas que se fazem quase sozinhas ou para o eventual pão de fim-de-semana. Hoje celebra-se o World Bread Day. Abrem-se as portas do blog ao padeiro cá de casa e a um pão muito bonito, cheio de significados.

As receitas de pão cruzam-se frequentemente com a história e os rituais religiosos. Challah é um pão de origem judaica, originalmente preparado para ser comido no Sabbath – sexta-feira, dia de descanso semanal sagrado nesta religião. Contudo, o sabor proporcionado por esta massa enriquecida com açúcar, ovos e gordura, e as diversas formas entrançadas com que pode ser produzido tornaram-no um pão apreciado em várias culturas, à semelhança do bagel ou do brioche.

outono ovos

A forma mais comum é, talvez, a trança de três cordas cujo simbolismo remete para os valores de Verdade, Paz e Justiça. No entanto, o challah pode ser produzido de múltiplas maneiras e feitios carregando diversos simbolismos. Nesta receita optei por uma coroa entrançada que pode ser feita com a ajuda de uma forma redonda e cujo significado deixo aberto ao que cada um de vós considere mais importante.

Feliz World Bread Day!

Challah Challah



Challah

rende 1 pão grande (ou 2 pequenos)

675 g farinha de trigo (T65)
10 g fermento fresco (ou 5 g. de fermento instantâneo)
10 g sal
50 g açúcar
250 ml água
60 ml óleo vegetal
2 ovos + 1 gema para pincelar
sementes de sésamo e/ou sementes de papoila

Tempo de preparação:
Preparação: 30-45 minutos
Levedação: cerca de 2-3 horas
Cozedura: 30 minutos

1. Num copo, misture o fermento esfarelado com uma colher do chá do açúcar e 100 ml. da água. Deixe o fermento activar durante 15-20 minutos. Entretanto, numa taça à parte, misture a farinha com a restante água, o sal, os dois ovos ligeiramente batidos e o óleo. Envolva todos os ingredientes e deixe repousar cobrindo a taça com um pano. Se usar fermento instantâneo coloque todos os ingredientes na taça, afastando o fermento do sal, e siga de imediato para a fase seguinte.

2. Envolva os dois preparados anteriores e amasse até obter uma massa elástica e suave. Ao princípio a massa é bastante pegajosa, mas à medida que se vai amassando ela ganha consistência (evite a tentação de adicionar mais farinha).

3. Depois de amassada, coloque a massa a levedar numa taça previamente oleada e coberta com um pano ou com película aderente. A massa deve levedar até duplicar de volume. Para isso, pode colocá-la num local reservado de correntes de ar e com temperatura amena (22-23ºC) durante cerca de 1-1,5 horas ou, em alternativa, deixá-la no frigorífico de um dia para o outro (8-12 horas) tendo o cuidado de a retirar do frio 1-2 horas antes do passo seguinte.

4. Vaze a massa pressionando-a suavemente com as palmas das mãos e os nós dos dedos. Divida a massa e estique-a consoante o número de cordas com que pretende entrançar a forma final do pão. Aconselho este e este vídeo.

5. Deixe levedar de novo, cerca de 1 hora, até o pão duplicar de volume. Pincele com uma gema de ovo batida à qual se junta uma colher de chá de água. Polvilhe com sementes de sésamo e/ou sementes de papoila e leve ao forno previamente aquecido a 180ºC durante 30-35 minutos.

8 comentários:

  1. Adorei conhecer o Challah, a sua essência e história!
    Adoro pão doce. Toda a evolução da confecção é magnifica mas esta última foto está lindissima :)

    Bjinhos
    Susana

    ResponderEliminar
  2. Olá Suzana!
    Que lindo pão! Esse entrançado é fantástico! E à semelhança do brioche e do bagel, o sabor é concerteza muito bom!
    Excelente participação no WBD!
    Um beijinho
    Helena
    http://cookingbooksblog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Adoro! Está lindo e deve ter um ótimo sabor!

    ResponderEliminar
  4. Que pão mais lindo :) e que linda foto!
    Parabéns!
    Bjinhoos

    ResponderEliminar
  5. Bastante criativo ficou de certeza delicioso :)

    ResponderEliminar
  6. Que lindo que ficou! Desconhecia a história, que é bem interessante.
    Pão é vida e é união!
    Babette

    ResponderEliminar
  7. Que lindo, é sempre tão bom aqui passar, nem imaginas :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!