22.5.15

Bolo de cenoura e cherovia e uns amores mais que perfeitos

Bolo da horta

Quero um jardim que seja uma horta. E um pomar, com árvores de fruto a florir e sombras onde se possa fazer piqueniques. Quero mas não tenho. Refugio-me nos jardins dos outros, alimento-me das hortas alheias e procuro a luz bloqueada por ramos e galhos públicos. É quase a mesma coisa. De passeio pelo jardim da Estrela, na banca da Quinta do Poial no mercado do Príncipe Real ou no Parque do Monsanto, há em Lisboa lugares que são panaceia para desejos como os meus.

Com o fim-de-semana à porta nada como programar uma receita que seja a homenagem perfeita aos jardins e hortas que não são nossos. De amores perfeitos enfeitado, este é um bolo que celebra toda a alegria desta estação. As flores comestíveis são um tema de conversa que encontra sempre adeptos e firmes opositores. Porque são demasiado bonitas ou porque há um bloqueio cultural, comer flores é coisa que divide opiniões. Já os frutos ou as raízes são mais consensuais. Todos têm lugar neste bolo.

cenouras Bolo da horta

Com as cenouras a chegar em força, doces e delicadas como são nesta altura do ano, eis a oportunidade de juntar açúcar ao doce e fazer um bolo. Aqui combinadas com as últimas cherovias (também chamadas pastinacas) aproveita-se a textura destas raízes raladas, das nozes partidas e o quente das especiarias. A cobertura branca e alva é o suporte perfeito para os delicados amores perfeitos criados com carinho pela Maria José Macedo na Quinta do Poial. Não são obrigatórios e podem ser substituídos por outras flores, como as de sabugueiro. Deve sempre ter-se o cuidado de utilizar flores que não sejam tóxicas (e portanto comestíveis) e cuja proveniência seja biológica (isenta de químicos).

São servidos?

pastinacas Bolo da horta



Bolo de cenoura e cherovia
Adaptado ligeiramente de Bread, Cake, Doughnut, Pudding: Sweet and Savoury Recipes from Britain's Best Baker

10-12 fatias

4 ovos grandes, separados
300g açúcar amarelo
1 cenoura grande ralada (cerca de 125g)
1 pastinaca grande ralada (cerca de 125g)
raspa de 1 laranja
125g nozes, picadas grosseiramente
200 ml óleo
300g farinha de trigo
1 colher (chá) fermento em pó (pó Royal)
1 colher (chá) de mistura de especiarias (noz moscada, canela, gengibre moído)
1 pitada de cravinho moído
1 pitada de sal

Pré-aqueça o forno a 160ºC. Prepare uma forma redonda, pincelada com óleo e polvilhada com farinha. Bata as gemas com o açúcar até obter uma mistura clara e fofa. Misture a cenouras e a pastinaca ralada, o óleo e a raspa da laranja. Peneire a farinha e o fermento em pó e junte as especiarias e as nozes e adicione à mistura. Bata as claras em castelo com uma pitada de sal e misture uma colherada na massa do bolo. Acrescente as restantes claras e envolva sem bater. Deite a massa na forma. Leve ao forno durante 45-55 minutos ou até estar cozido. Mantenha o bolo na forma até este arrefecer completamente. Desenforme para um prato.

Sirva com uma cobertura de natas batidas e flores comestíveis.

amores perfeitos

5 comentários:

  1. Confesso que não me ocorreria comer umas flores assim tão bonitas, mas não me custaria nada tentar, até porque já as como de outras formas.
    O bolo está com um aspeto fantástico e é perfeito sim para um piquenique seja lá onde for :)

    ResponderEliminar
  2. Ficou lindo, as flores dão-lhe um toque realmente primaveril. E eu adoro bolos de tubérculos :)

    ResponderEliminar
  3. Que bolo lindo! A fazer par na perfeição com esta estação.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  4. Parece-me tão bem este bolinho, adoro com as flores, qual manto de Primavera à mesa.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!