6.6.15

{Rota das Estrelas} Um almoço de amigos no Feitoria

Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém

Convidam-se os amigos que estão longe, partilha-se uma mesa com o que de melhor temos para oferecer e põe-se a conversa em dia. Esta cultura do encontro com a comida no centro das celebrações guia também o espírito da Rota das Estrelas e junta na cozinha dos chefs com estrelas Michelin em Portugal os seus amigos vindos de todo o mundo, para a troca de experiências e alguns jantares inesquecíveis. O anfitrião é o chef João Rodrigues que recebe no seu Feitoria um grupo muito diversificado de chefs, vindos de perto e de longe para cozinhar com a vista de rio que caracteriza o Altis Belém.

Entre as temáticas que maior curiosidade levantam está a pergunta feita vezes sem conta: o que comem os chefs com os seus amigos? A resposta de João Rodrigues vem em forma de marisco e peixe confeccionados com grande simplicidade, uma ode ao mar, com a costa portuguesa como inspiração e fonte infindável de possibilidades num cenário onde os ingredientes são reis e os sabores tradicionais assumem a dianteira.

Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém

É na esplanada da cafetaria Mensagem que nos sentamos com Josean Alija do basco Nerua à esquerda e Paolo Casagrande do catalão Lasarte do outro lado da mesa. Das conversas que fazem de Lisboa o centro das atenções, passamos para a importância da proveniência dos ingredientes e da relação com os produtores enquanto gambas da nossa costa e maravilhosos lavagantes vão sendo apreciados deixando bigodes vermelhos e as mãos cheias de mar entre os comensais. Josean fala-nos com emoção da visita à Quinta do Poial no dia anterior, com João Rodrigues e Kamilla Siedler do restaurante Gustu, cuja abordagem também se foca muito nos produtos autóctones. Na sua cozinha, Josean Alija dá grande importância ao produto: o primeiro prato que apresentaria no jantar é composto por cinco pequenos tomates, seleccionados entre dezenas de variedades e injectados com cinco caldos com ervas aomáticas diferentes, de simplicidade apenas aparente numa explosão de sabores. Com a chegada do fantástico robalo de mar e açorda de ovas a conversa muda para a visita programada para o dia seguinte em Peniche e um almoço na lota com os pescadores como cozinheiros.

Findo o almoço e já com o serviço do jantar na mente, João, Kamilla, Paolo e Felipe Rameh (dos brasileiros Trindade e Alma) passam em revista o plano para a noite, mas não antes da sobremesa. Com a preciosa ajuda da chef Kamilla Siedler, que se ofereceu para executar as quenelles, o anfitrião tem ainda tempo para finalizar à nossa frente uma excelente combinação de chocolate, fava tonka, caramelo, flor de sal e café Nespresso. A experiência de cada Rota das Estrelas traduz-se sempre numa partilha de lugares, histórias e paixões que são alimento para a criatividade dos chefs e que proporcionam aos comensais jantares únicos, onde cada chef traz a essência da sua cozinha. Questionado sobre as escolhas dos chefs e a sequência dos pratos, João Rodrigues tinha confessado que o plano vai sendo traçado informalmente e que cabe ao anfitrião o papel de organizador, como faz o maestro numa orquestra tentando obter o melhor de cada músico. Dir-se-ia que o resultado foi uma conjugação de diferentes notas numa peça rica em emoção.

Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém Rota das Estrelas, Feitoria, Altis Belém

--
leia também:

No Feitoria, com marisco ao almoço e sabores do mundo ao jantar, por Alexandra Prado Coelho
O ecletismo gastronómico à mesa do Feitoria / Rota das Estrelas 2015, por Patrícia Serrado
Rota das Estrelas: de Belém para o mundo e do mundo para o Feitoria, por Miguel Pires

1 comentário:

  1. Um sitio que quero visitar muito mesmo :)

    http://www.petisconamesa.com/

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!