29.10.15

Gratinado de polenta e vegetais e uma descoberta

Gratinado de polenta e vegetais

Todos os dias encontro coisas novas em Lisboa. Viver numa cidade grande é como entrar numa longa metragem de cada vez que se sai à rua. Descoberta última, feita à custa de explorar uma parte da cidade onde normalmente não se passa: há galos e galinhas em liberdade, a passear descansadamente no Campo Mártires da Pátria.

Foi num Domingo pela manhã, a caminho de um almoço ali por perto. Na praça ampla desenha-se um jardim, com lago e tudo. Pelos bancos aproveita-se o sol tímido enquanto cada cão e o seu dono passam uma e outra vez sem interromper as rotinas dos galináceos. São poucas as galinhas e muitos galos, com as suas penas reluzentes e de crista ao alto, nenhum deles especialmente interessado nos traseuntes mais ou menos habituais do jardim ou em quem não resiste a mais uma fotografia.

Galos e galinhas, Campo Mártires da Pátria Gratinado de polenta e vegetais

Ainda a pensar no encontro com os galos, reconheço nos ingredientes em cima da bancada as mesmas cores de festa. Verde e vermelho, castanho e dourado. O nosso jantar há-de ser polenta no forno, numa cruza entre pizza e gratinado, para comer à mão ou de faca e garfo. As últimas curgetes e os ultímos tomatinhos, acompanhados de cebola roxa e queijo mozzarella, numa base de polenta tostadinha.

Para celebrar as temperaturas ainda amenas apesar da chuva, um branco do Douro que boa companhia nos fez neste Verão. Este vinho Santos da Casa Colheita Douro DOC Branco tem a assinatura do enólogo Helder Cunha e funcionou na perfeição com o gratinado de polenta e vegetais.

Gratinado de polenta e vegetais Santos da Casa Colheita Douro DOC Branco



Gratinado de polenta e vegetais
Adaptado livremente de uma ideia de Nigel Slater na sua coluna no The Guardian

serve 2, como refeição

125 g polenta rápida
250 ml caldo de vegetais
50 g queijo mozzarella ralado
1 colher (sopa) azeite
1 colher (chá) tomilho (só as folhinhas)
1 curgete pequena, em meias-luas
10 tomates cereja, cortados ao meio
1 cebola roxa, em meias-luas
sal e pimenta preta moída na altura

rebentos de beterraba, para servir (opcional)

Pré-aqueça o forno a 180ºC.

Aqueça o caldo até ferver e junte a polenta. Mexa até engrossar e obter uma boa consistência. Retire do lume, adicione o tomilho e rectifique o tempero com sal e pimenta preta moída na altura. Misture bem e deixe arrefecer e ficar mais firme (15 minutos). Verta para um prato de forno pincelado com azeite e pincele com o restante azeite. Leve ao forno 25 minutos até começar a dourar.

Retire do forno e deixe arrefecer ligeiramente. Disponha a curgete e a cebola sobre a polenta. Polvilhe com o queijo e distribua os tomates com a parte cortada virada para cima. Leve ao forno por mais 15 minutos até o queijo derreter completamente. Sirva com uma salada verde ou rebentos de beterraba.

--

outros gratinados:

Gratinado de favas e beterraba
Gratinado de tomate e espinafres
Gratinado de couve e queijo



3 comentários:

  1. Ler o que você escreveu me fez sentir em uma deliciosa tarde de domingo cercada por aqueles que amo! Que delícia de receita, de imagens e de escrita!!!
    Beijokas, Lorena
    ( http://cozinhandonapressao.blogspot.com/ )

    ResponderEliminar
  2. Que bom aspecto!!

    Essa zona do Campo Mártires da Pátria/Paço da Rainha, ainda bem que "ainda" é desconhecida de muitos... um verdadeiro óasis palaciano em pleno centro de Lisboa e com vistas magníficas.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!