25.2.16

Panquecas de avelã com calda de laranja

Panquecas de avelã com calda de laranja

Os livros são o alimento da alma. Das paixões que não escondo e que comigo permanecerão para sempre, entre as páginas impressas, as lombadas marcadas e os cantos às vezes estragados, escreve-se a minha compulsiva afeição pelos livros. Vivo rodeada por eles, espalhados pela casa, às vezes esquecidos nas estantes ou atirados sobre as mesas. São companhia para todas as ocasiões. Tenho, claro, centenas de livros sobre comida.

Na ordem do dia, as diferentes opções alimentares que caracterizam filosofias de vida muito variadas. O que comemos é antes de mais uma escolha pessoal, marcadamente cultural e que deve preencher as necessidades específicas de cada um. Apesar de ter as minhas bem definidas, gosto muito de ler sobre o tema e a minha biblioteca não podia ser mais inclusiva. O último livro a chegar é sobre a dieta paleo. Irena Macri descreve-a e eu leio avidamente sobre a dieta do Paleolítico, os alimentos que a caracterizam, os ingredientes abolidos e as razões para tal. Gosto da sua escrita explicativa e sistematizada, da atitude positiva com a comida e da perspectiva moderada que marca este Livro de Receitas Paleo, onde os lacticínios ou o arroz aparecem de vez em quando em pequenas quantidades.

O livro começa com a história de Irena e muitas referências e informação sobre a dieta paleo e os seus básicos. Depois as receitas dividem-se em secções temáticas ou por ingrediente: Toca a acordar, Da horta, Carne; Peixe e companhia, Doces malandrices, Rapidinhos, Faça em casa e À nossa, na maiorida das vezes há uma fotografia bonita a acompanhar, um breve texto sobre cada receita e dicas sobre técnicas ou ingredientes. Ao folhear o livro, ainda antes de o ler, avanço para espreitar a primeira receita e passar os olhos pelas fotografias. As panquecas de avelã com calda de laranja-sanguínea deixam-me cheia de vontade de as experimentar, mesmo sem ler a receita. É a ela que volto para o lanche.

Citrinos Panquecas de avelã com calda de laranja

Feitas de avelã e farinha de coco, estas panquecas não têm glutén e podem ser acompanhadas por frutos vermelhos, banana e mel. Mas para mim é a calda que torna esta receita especial. Como não tinha laranjas-sanguíneas, fiz com laranjas normais a que acrecentei algumas framboesas congeladas para obter uma cor semelhante. Fica muito bom na mesma! As panquecas são saborosas e muito substanciais, perfeitas certamente para iniciar o dia, como aconselha Irena.

São servidos?



Panquecas de avelã com calda de laranja
Adaptado de Livro de Receitas Paleo, Irena Macri

12 panquecas

1 e ½ chávena (chá) farinha de avelã (cerca de 120 g)
2 colheres (sopa) farinha de coco
1 colher (chá) extracto de baunilha
½ colher (chá) bicarbonato de sódio
4 ovos grandes
1 banana
manteiga clarificada para cozinhar
avelãs torradas, para servir (opcional)

para a calda:
60 g manteiga
3 laranjas sanguíneas* (2 às rodelas, sem casca e 1 em sumo)
1 colher (sopa) sumo de limão
2 colheres (chá) açúcar de coco ou mel
sumo de laranja
1 vagem de baunilha, cortada ao meio longitudinalmente

Faça a calda, colocando todos os ingredientes, à excepção das rodelas de laranja, e deixe fervilhar. Adicione a laranja e cozinhe em lume brando 10-15 minutos, mexendo ocasionalmente.

Para as panquecas, deite todos os ingredientes num liquidificador e triture até obter uma mistura homogénea. Em alternativa, junte os ovos batidos, o extracto de baunilha e a banana esmagada às farinhas e polvilhe com o bicarbonato de sódio. Mexa para incorporar.

Para cozinhar as panquecas, aqueça uma frigideira antiaderente em lume médio e acrescente um pouco de manteiga. Deite uma pequena concha de massa (cerca de 60 ml). Deixe cozer, até que apareçam bolhas à superfície (cerca de 2 minutos). Vire a panqueca e coza por mais 1 minuto ou até estar dourada. Transfira para um prato e tape com um guardanapo de pano, para não arrefecer. Repita com a restante massa. Sirva com a calda e avelãs torradas, se usar.

* usei laranjas a que juntei meia-dúzia de framboesas congeladas.

6 comentários:

  1. Hummm a minha receita de hoje são também umas panquecas.
    Que delícia

    Beijinhos,
    Clarinha
    http://www.receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/2016/02/panquecas-integrais-de-abobora.html

    ResponderEliminar
  2. Acreditas que foi logo a receita que também marquei? até porque tenho as laranjinhas vampiras em casa :) estou a gostar muito do livro, e da perspectiva nada extremista da autora.
    Vou ter mesmo de as fazer! Ficaram lindas.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apetece mesmo fazer, não é? Sim, faz com as laranjas sanguíneas! Tenho a certeza que ficarão lindas.

      Beijocas*

      Eliminar
  3. Tenho um pacote de farinha de côco guardado há meses... vai virar panquecas! ;)

    www.chadascinco.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A farinha de coco é muito flexível, Sofia! Atenção à taxa de hidratação que é muito maior que nas outras farinhas. ;)

      Bj*

      Eliminar

Obrigada pelo seu comentário!