19.1.18

The Old House, uma viagem pela gastronomia de Sichuan

The Old House, Lisboa

A China tem uma cozinha tão extensa como o seu território e tão rica como a sua História. No The Old House a promessa de viajar até Sichuan é selada com um (ou vários) toques de picante e pretende estar à altura das expectativas de todos os amantes de comida chinesa, desde os curiosos (sempre prontos a explorar novos mundos e experimentar ingredientes desconhecidos) aos corajosos que tratam as malaguetas e as pimentas por tu. Nas mesas abertas para a sala ou viradas para a rua, ali mesmo ao lado do Tejo, a longa carta é apreciada por uma mistura equilibrada de lisboetas e chineses: os primeiros procuram o bilhete para a tal viagem dos sentidos e os segundos chegam em busca dos aromas e sabores do seu país.

Aceita um chá de Jasmim? Quando quem nos serve percebe antes de nós o que precisamos ficamos ainda mais disponíveis às suas recomendações, cuidadosamente feitas após saber o nível de picante que gostamos. O pretexto da minha visita é provar os novos pratos, onde se salienta uma misteriosa Flor medicinal chinesa com nozes. São as borboletas coloridas que primeiro me chamam a atenção mas é a textura a lembrar falsos noodles vegetais e as deliciosas nozes cruas que me conquistam. Se os salteados de legumes estão muito presentes na culinária cantonesa, esta tem também uma larga tradição nas carnes feitas no forno (como o porco e o pato) e os dim sum, bolinhos cozidos no vapor com diversos recheios especialmente pensados para acompanhar infindáveis bules de chá.

The Old House, Lisboa
The Old House, Lisboa

Salada de alga chinesa

A carta do The Old House é também caracteristicamente chinesa no número levado de pratos, sempre acompanhados por uma fotografia e identificados por um número. Informação importante é também o nível de picante, num compromisso entre o gosto chinês e a menor apetência dos portugueses para o calor vindo das malaguetas e da pimenta de Sichuan e o tempo de confecção necessário para que a cozinha, onde todos os cozinheiros são chineses, dê resposta ao pedido. Escolhidos os pratos, tudo começa com uma salada de "algas" vindas da terra. Na realidade são cogumelos orelha de rato servidos com um molho onde a soja, o vinagre e o alho se equilibram, com uma pequena ajuda das malaguetas vermelhas que aqui dão mais cor que sabor. Para os mais reticentes ao picante, outra aposta certa são as gyozas que trazem o nome da casa e se fazem de porco e cebolinho e são garantia de conforto. Servida mais uma rodada de chá já ninguém ninguém quer saber do tempo frio e cinzento que faz lá fora.

A província de Sichuan é conhecida como a "terra da abundância" pela forte prevalência da agricultura e capacidade produtiva dos seus solos. Com os sentidos alinhados para desafios maiores, a emoção aumenta quando chegam à mesa mais pratos. Esquecida dos meus receios de não aguentar o picante quero é provar tudo. Dos vegetarianos ao meu favorito Pato de Pequim, será que encontro um novo predilecto?

The Old House, Lisboa The Old House, Lisboa

Gyosa The Old House / sem picante



The Old House, Lisboa

Berinjela com molho de alho

Entre o doce e o picante, as beringelas servidas envoltas em abundante molho brilhante pedem a companhia do omnipresente arroz branco. Segredo partilhado: sabe tudo melhor se misturado na taça deixada ali à mão e comido à colher. Sem me querer comprometer antes de provar os restantes pratos, esta beringela com molho de alho já tem lugar cativo no meu coração.

The Old House, Lisboa
The Old House, Lisboa

Carne de porco desfiada


Os já mencionados salteados, feitos rapidamente em fogo vivo, são assinatura de uma gastronomia onde a quantidade de ingredientes de um prato é directamente proporcional ao seu sabor. Esta carne de porco desfiada com bambu e alga chinesa é disso exemplo, com o picante a subir e a trazer novos desafios ao palato. Para quem pretende abrir portas a uma cozinha chinesa genuína, este prato oferece uma experiência onde ingredientes menos comuns como o bambu se cruzam com uma nova sensação de múltiplas camadas de sabor.

The Old House, Lisboa

Pato de Pequim


O pato tenro partido em pequenos pedaços vem coroado por uma super crocante pele, que não se consegue parar de comer. A tradição é rechear à mesa as panquecas com o pato, pepino, alho francês e terminar com o molho denso e adocicado que ajuda a juntar todos os sabores. Dos melhores que se podem comer em Lisboa, este Pato de Pequim é confeccionado segundo os preceitos chineses e faz uso de todos os conhecimentos ao dispor para servir a mais viciante pele estaladiça. Para os amantes desta iguaria é absolutamente a não perder.

The Old House, Lisboa
The Old House, Lisboa

Lago de cisne


Com o almoço longo, a alma cheia e a barriga mais do que satisfeita, quase recusei a sobremesa. E teria sido uma pena pois os lindos cisnes de massa folhada recheados com pasta de feijão vermelho e doce de groselha são a forma perfeita de terminar uma excelente refeição. Servidos numa gaiola de madeira e com uma pétala de rosa a reforçar o carácter romântico do prato, o lago do cisne sabe ainda melhor partilhado!

Feita a promessa de voltar para me aventurar noutros níveis de picante, saio certa que ali junto ao rio no Parque das Nações fica um pouco da China. Prometo-me viajar mais vezes até lá.

--

THE OLD HOUSE

Rua Pimenta 9 | Parque das Nações 1990-254 Lisboa

2 comentários:

  1. Lindissimas fotos.

    Beijinhos,
    Clarinha
    https://receitasetruquesdaclarinha.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Estou ao tempo para ir aí, tem tudo muito bom aspecto!!
    -
    Diogo Marques
    Blog: A culpa é das bolachas! | Facebook | Instagram | Zomato
    -

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!