20.12.18

Livros favoritos 2018

Livros do Ano 2018

Não consigo lembrar-me dos livros que li mais do que as refeições que comi; ainda assim, ambos são responsáveis por quem sou. O escritor Ralph Waldo Emerson oferece numa dúzia de palavras a síntese perfeita para quem encontra nos livros sobre comida o balanço perfeito para um ano que corre para o seu fim. As escolhas do ano fazem-se de livros muito diferentes e, contudo, todos trouxeram luz à cozinha, alegria ao estômago e food for thought à mente. Como noutros anos chegaram escolhidos a dedo ou por mero acaso, vieram pelo correio ou trazidos por amigos, foram amor à primeira vista ou fruto de uma segunda oportunidade. São os favoritos de 2018 e prometem muitas aventuras.

Livros do Ano 2018



Livros do Ano 2018

Feast - Food of the Islamic World de Anissa Helou

O quê? - Um compêndio sobre a comida do Islão que atravessa a cozinha de dezenas de países, do Senegal à Indonésia, alicerçado num amor pelas ervas aromáticas e no hábil uso das especiarias. Feast - Food of the Islamic World é, simultaneamente, um livro sobre a história e a cultura dos povos que professam esta religião e um repositório de centenas de receitas que nos levam numa viagem pelo mundo árabe e persa. O título não podia ser mais adequado: este livro é uma festa!

Quem? - A autora sempre demonstrou interesse na cozinha do Levante e os inúmeros livros que escreveu atestam essa paixão. Rigorosa, apaixonada e sempre frontal, Anissa Helou é uma das mais surpreendentes figuras da paisagem culinária do Médio-Oriente e uma escritora muito inspiradora.

A cozinhar? - Iranian Pomegranate Soup (p. 298) e Lebanese Sweet Cheese Pie (p. 444)

Livros do Ano 2018>

Lisboeta - Receitas da Cidade da Luz de Portugal de Nuno Mendes

O quê? - Uma carta de amor a Lisboa, escrita em forma de livro de receitas e jornal de memórias de um chef. Dos capítulos Pastéis, Salgados, Almoço, Petiscos, Jantar, Sobremesas e Sandes se faz pretexto para falar sobre a cidade onde se cruzam temáticas variadas como os Descobrimentos, as Tascas ou o Peixe. Este é um livro bonito, cheio de fotografias e textos para ler atentamente e que se cruza, inevitavelmente, com receitas que fazem da cozinha portuguesa um território a explorar.

Quem? - Nuno Mendes é um chef internacionalmente reconhecido que fez de Londres a sua casa. O seu olhar baseia-se nos afectos mas o trabalho desenvolvido é sério e profissional. Neste Lisboeta fica bem patente o lugar onde o chef tem o seu coração e a razão porque se tornou a gastronomia portuguesa tão interessante para os londrinos.

A cozinhar? - Amêijoas à Bulhão Pato com chouriço (p. 208) e Tigelada (p. 254)

Livros do Ano 2018

How to Eat a Peach de Diana Henry

O quê? - Há livros que são difíceis de classificar porque a magia que produzem não cabe em definições simples. How to Eat a Peach é um desses espécimes que foge ao óbvio e se situa entre um convite à viagem e um mergulho em memórias alheias. Pelo meio a autora organiza receitas em menus que resultam de acontecimentos passados, lugares ou sabores particulares e se propõem a novas emoções uma vez cozinhados e servidos noutros contextos. Podiam ser as fotografias (fantásticas) ou as receitas (impecáveis) a roubar-nos o coração mas são os textos de Diana Henry que fazem com que este seja um livro para ler mais do que para ver.

Quem? - Todos temos os nossos autores adorados e um dos meus é Diana Henry, que sempre que escreve um novo livro surge nestas listas. Talvez seja a capacidade especial de oferecer sempre o contexto para além da receita, abrindo novos mundos ao prato, que mais surpreende. Da minha parte, já espero ansiosamente o próximo.

A cozinhar? - Slow Roast Duck Legs with Sweet-sour Prunes (p. 165) e Hibiscus Poached Pears (p. 242)

Livros do Ano 2018

Comer como uma rainha de Guida Cândido

O quê? - À boleia do receituário real faz-se o caminho pelas mesas das rainhas portuguesas, do século XVI ao século XX. Entre a investigação histórica e as receitas que representam a mesa real da corte portuguesa encontramos muitas referências à vida das rainhas, seus cozinheiros, hábitos e rituais de outros tempos. Uma viagem que nos faz olhar para muitos pratos actuais da gastronomia portuguesa com outros olhos.

Quem? - Guida Cândido tem um interesse especial pela história da alimentação e o seu trabalho desenvolve-se em torno desta temática, tendo desta feita sido vertida em livro com receitas e muitas estórias à mistura.

A cozinhar? - Galinha albardada (p. 50) e Torta de marmelos (p. 126)

Livros do Ano 2018

Açordas, Migas e Conversas de A. M. Galopim de Carvalho

O quê? - Conversas transformadas em livro, com saberes e sabores como tempero. O título diz quase tudo sobre um conjunto de textos que se fez livro, cosido pela palavra fácil do autor e a sua infindável sabedoria. Ler este Açordas, Migas e Conversas é como passear com Galopim de Carvalho ouvindo as estórias e as receitas à medida que se vai caminhando. Por ter o Alentejo no coração é como um regresso a casa para quem tem nesta região muitas memórias felizes.

Quem? - Galopim de Carvalho é um investigador e professor nos campos da Geologia e da Geografia. O seu conhecimento sobre diferentes saberes confere-lhe uma voz única e muito curiosa, também no campo da gastronomia e da alimentação.

A cozinhar? - Sopas de espinafres com queijo e ovos (p. 72) e Migas de linguiça, toucinho e poejos (p. 140)

Livros do Ano 2018

Petiscos e miudezas à portuguesa de Isabel Zibaia Rafael e Virgílio Nogueiro Gomes

O quê? - Um tratado sobre os cortes e partes menos nobres que procura mostrar a riqueza da cozinha portuguesa no que a miudezas e petiscos diz respeito. Com informação sobre os diferentes tipos de carne e as suas especificidades, o livro oferece muitas receitas para utilizar todas as partes do animal da cabeça até ao rabo. É também um excelente forma de saber mais sobre as tradições regionais na utilização das carnes com certificação.

Quem? - Em jeito de declaração de interesses, tenho a sorte de conhecer Isabel Zibaia Rafael e Virgílio Nogueiro Gomes com quem ao longo dos anos tenho partilhado boa comida e melhor conversa. Os dois autores têm, entre si, um enorme conhecimento no campo da gastronomia e da cozinha que abrange as referências históricas e o panorama actual, bem como todas as dimensões técnicas inerentes ao receituário.

A cozinhar? - Molejas de porco fritas com puré de grão e cebola caramelizada (p. 105) e Rabo de boi com ervilhas (p. 53)

\\

Livros do Ano 2018

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!