26.2.19

À descoberta de Trás-os-Montes com os Vinhos Cistus

Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz

Fazer vinho é mais do que transformar as uvas em néctar. É também escrever uma história que se faz de pessoas, paisagem e conhecimento. Com o coração na região do Douro, os vinhos Cistus são produzidos pela Quinta do Vale da Perdiz — Sociedade Agrícola a partir das castas tradicionais da região e a sua expressão mostra um perfil diferenciado em função das características da sua geografia e da visão dos seus mentores, com António Fernandes, filho do fundador, a conduzir a tradição familiar.

Com condições especiais para produzir Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz ou Tinta Barroca nas suas quintas em Torre de Moncorvo, são os tintos que mais dizem ao enólogo Manuel Angel Areal pela excelência dos vinhos que o terroir oferece. Escolhas feitas para ir ao encontro da cumplicidade entre António e Manuel Angel, que se pode medir nas palavras que ambos encontram para responder às perguntas e que trazem sempre mais uma história partilhada nos longos anos em que se conhecem e trabalham juntos. Com ironia e novo sorriso cúmplice trocado entre os dois, a harmonização enogastronómica dos vinhos Cistus começa com um branco de 2011!

Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz
Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz



A alma de Trás-os-montes na capital encontra n'O Nobre uma casa sempre de portas abertas. É lá que os pratos de conforto da chef Justa Nobre nos conduzem à terra fria à boleia dos vinhos que vão chegando à mesa. Viajar no copo é também uma forma de conhecer melhor o nosso território e abraçar a enorme diversidade e riqueza dos vinhos em Portugal. Ainda que os brancos sejam parte pequena da produção, é com um interessante Cistus Garrafeira branco de 2011 que começamos. Abrandam as conversas quando os peixinhos da horta são servidos e cada um aprecia a viagem que o copo nos propicia, esquecendo (quase) tudo o que sabemos sobre vinhos brancos e aceitando um conjunto de novas possibilidades.

Mas os reis da prova estavam ainda por ser anunciados e não tardaram em se fazer notados. As castas do lote do Cistus Reserva Douro DOC 2015 mostram o seu coração português numa combinação de Tinta Roriz, Touriga Franca e Touriga Nacional e dão corpo a um tinto complexo e muito gastronómico. Sendo um vinho que pede companhia, encontra na bochecha com puré de castanhas e pimenta rosa um conjunto de referências que não são estranhas à sua paleta de aromas.

Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz
Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz
Vinhos Cistus, Quinta do Vale da Perdiz

Com o Cistus Grande Reserva Douro 2011 marcamos encontro para uma experiência muito particular. Provar vinhos é também esperar surpresas quando estes se apresentam plenos de intenção nas escolhas produzidas na vinha e na adega, para além das características próprias da região. Neste tinto do Douro Superior há uma qualidade de se afirmar como único que passa sobretudo pela sua marcada identidade e quando, no prato, encontra a perdiz da chef Justa Nobre e a harmonização não podia ser mais perfeita porque vinhos especiais pedem pratos especiais.

Uma prova feita em torno de uma refeição com sabores transmontanos oferece a António Fernandes a primazia na partilha de uma ideia de vinhos que é particular por ser autêntica. Uma viagem no copo a repetir!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!