18.8.10

Uma tarte baklava de figos

figos // figs

Rumo ao Sul como se lá houvesse outro sol. Se o Sul fosse um lugar havia de estar repleto de verde, ter uma porta sem campainha (daquelas que escondem segredos) e escrever-se de mar e sal. É no Sul que crescem as árvores do meu paraíso, as que dão frutos verdes ou negros, que se abrem para um interior de mistérios, sob a promessa de açúcar sem fim. São os figos da minha vontade. vício último de quem não morre nem mata por doce. Todo o ser tem o seu ponto fraco, contraditório, inexplicável. O meu começa e acaba num prato de figos.

Não vejo qualquer necessidade de acrescentar o que quer que seja a um par de figos docinhos. São perfeitos mornos, abertos ao meio com dedos ansiosos. No entanto abro uma excepção ao creme de mascarpone da minha amiga Pipoka e à combinação de Baklava para a base de uma tarte que o Provador apelidou de delícia escandalosa de figos.

tarte baklava figos // Baklava Fig Tart

Tarte Baklava de Figos

Faz 4 tartes individuais ou 1 tarte grande

para a base (adaptado de Frescos Sabores, Michele Cranston)

4 folhas massa filo
2 colheres sopa manteiga derretida
30g (½ chávena) amêndoas laminadas
30g (½ chávena) nozes picadas
2 colheres sopa mel
1 colher chá raspa de limão
2 colheres sopa açúcar amarelo
1 colher chá canela moída

Pré-aqueça o forno a 180ºC. Misture a amêndoa, noz, mel, açúcar, raspa de limão e canela numa tigela pequena. Unte uma tarteira rectangular com manteiga. Coloque uma folha de massa filo e pincele com manteiga. Polvilhe com a mistura de nozes e mel. Repita a operação com as restantes folhas de massa filo, terminando com uma folha de massa. Leve ao fono durante 15 minutos até estar bem dourado.

para o creme de mascarpone (adaptado apartir da receita no Three Fat Ladies)

125g iogurte grego
1 chávena de mascarpone (cerca de 225 g)
¼ chávena de açúcar
1 ½ colher de chá de raspa de limão

Misture todos os ingredientes numa tigela, até obter uma massa homogénea.

Para finalizar a tarte, coloque o recheio na tarteira apenas quando a massa estiver completamente fria. Disponha os figos aos quartos. Usei 8 figos grandes, mas a quantidade de figos pode ser a que se quiser.

tarte baklava figos // Baklava Fig Tart

17 comentários:

  1. Querida Suzana,

    Nao me tente com esses figos maravilhosos! A nossa primavera fria e verão ameno causou uma escassez deles por aqui neste ano. estou em delirium tremens. ;-)

    Saudades!
    um beijo!

    ResponderEliminar
  2. Tentação ou pecado?
    Não importa quando se tem na frente uma combinação perfeita :)
    Partilhamos o mesmo gosto por figos que para mim também não precisam de mais nada para serem saboreados e que mesmo assim vão aceitando outras companhias magnificas.
    Beijocas
    Manuela

    ResponderEliminar
  3. Sou absolutamente doida por figos, cerejas e dióspiros. É uma trilogia que suplanta qq outra sobremesa!...
    Aqui no Porto ainda não encontrei figos verdadeiramente bons e grandes e doces e escandalosos. Não... essa é uma fraqueza do Norte, estar tão longe dessas delícias.... E como são normalmente em menor quantidade do que no Sul, nem tenho tempo de pensar noutra utilização que não seja comê-los ao natural. Mas um dia, assim, em que apanhe uma overdose de figos, esta receita vai estar lá, ai vai, vai!
    babette

    ResponderEliminar
  4. Suzana,
    Adorei o teu texto sobre o Sul! :)
    E essa receita... mmm! sem mais palavras porque aqui e que nao ha mesmo figos nenhuns. Ou melhor, ha, na loja do Turco, mas o seu preco torna a tentacao proibida!
    Beijinhos
    Sofia

    ResponderEliminar
  5. A tarte tem um aspecto delicioso e os figos fazem-me sonhar com dias de sol e descanso no sul do país.

    ResponderEliminar
  6. Mesmo a calhar! Foi a Susana que me falou neste blog depois de eu ter comentado que ía fazer compota de figos! :D Se calhar vou dar outro destino aos figos... eh, eh, eh!

    ResponderEliminar
  7. Ah, e eu também levei o meu manjericão de férias... para Faro! :D

    ResponderEliminar
  8. Aqui em casa ando de volta dos figos verdes, pingo de mel. O grave problema é que nunca consigo fazer nada com eles a não ser comer desalmadamente ao natural até dar uma espécie de dor de barriga :) Esta tarte está fenomenal!

    ResponderEliminar
  9. Suzana,

    Ficou uma beleza, uma torta fetiche para mim já que onde me vivo não há figos e os pouquíssimos que por aqui aparecem custam preço de ouro... Em compensação estou com a casa cheia, ou melhor, lotada de framboesas orgânicas dulcíssima que eu colho todos os dias no meu jardim. Vamos trocar?

    Bj,

    C.

    ResponderEliminar
  10. Querida amiga, estou de amores por estes figos. este ano tenho comido quase nenhum.sempre me lembram de ferias en la herradura, sul da espanha. e comendo-os so friozinhos com minha amiga Maribel. Os mais doces que ja provei em toda minha vida. so far, nothing compares. xx

    ResponderEliminar
  11. Acho que ficou mesmo uma delicia escandalosa, muito bem apelidado. As fotos revelam tudo.

    Beijinhos e bom fds

    ResponderEliminar
  12. Será possível não ficar a salivar ao ver isto? Adorei! :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  13. ai ai ai...
    q coisa obscena...! suplanta os muffins com tamaras e marscarpone e caramelo...
    achas q arrisque?
    besitos e saudadinhas!

    ResponderEliminar
  14. Minha vó é grega, então baklava sempre esteve presente. Mas nunca vi ser feito com figos! Parece uma delícia!

    Marina

    http://doceconfissao.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  15. Que Maravilha!! A esta hora já não existe.... senão eu era moça pr te ir tocar à porta e "implorar" por uma fatia :)))

    Beijinhos Grandes,
    Carlota

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!