9.2.12

Cogumelos e ovo escalfado em tosta e um convite para jantar

Londres (de cima) // London from above

Sejam bem-vindos a Londres. A viagem passa pela cidade onde vive o meu convidado de hoje. Virá para o jantar. Ou para o pequeno-almoço. Talvez chegue pela hora do almoço. Nunca se sabe. Resolvo estar preparada. A nossa refeição será uma tosta de cogumelos com um ovo escalfado. O prato que lhe reservei come-se a qualquer hora e cabe nas várias refeições do dia. Se vier para uma refeição mais formal, bebemos vinho. Se ele se perder pelas ruelas e mistérios desta cidade e chegar para o brunch, há-de haver um bule de chá Earl Grey ou uma chávena de café à espera. Não que o homem que convidei para a minha mesa perca tempo com refeições. Entre deduções lógicas e o método científico, criminosos, vilões e gente em apuros é ao violino e à cocaína que recorre quando mais nada funciona.

Hello, Mr. Holmes.

Sherlock Holmes Museum, London
Cogumelos em tosta // Mushroom Toast with a poached egg

Sou uma fervorosa leitora de policiais. Sempre fui. Podia dizer que um dos meus escritores preferidos é Sir Arthur Conan Doyle. Não é verdade. A minha dedicação tem um destinatário diferente. Conan Doyle criou um personagem que saiu do papel, assumiu vida própria e sobreviveu ao criador. A sua morada em 221B Baker Street passou a existir, as suas frases de tão repetidas parecem reais e os seus hábitos são discutidos como se de uma pessoa se tratasse. Li todas as aventuras de Sherlock Holmes que foram, no original, publicadas como um folhetim na revista The Strand. Segui séries televisivas, entre as quais um fantástico Jeremy Brett na Granada Television e mais recentemente um Sherlock moderno, com telemóveis e computadores à mistura (da BBC). É um reencontrar do génio, numa reinvenção constante, em novos cenários e diferentes tempos. Há ainda as sequelas. É que alguém como Sherlock Holmes tem muitas vidas. A minha preferida é da escritora Laurie R. King com a sua Mary Russell a casar com Holmes quando este já vai nos "sessentas" (traduzido em Português) e a ombrear com ele em aventuras pelo mundo inteiro.

A relação de Sherlock Holmes com a comida é de profundo desprezo. Os gritos pela Mrs Hudson nunca são para pedir o pequeno-almoço, para desgosto do Dr. Watson que é um bom garfo e da própria Mrs Hudson, uma cozinheira muito competente. Embora já estejam presentes as influências do império Britânico e a tradicional tendência para os assados, as pies e os hot pots, a Londres vitoriana tem uma cozinha sem grandes rasgos. Estes cogumelos on toast não serão estranhos ao meu convidado já que sabores idênticos podem ser encontrados nas receitas da época. Se ele não gostar, como eu. É que já ando a preparar o estômago para o que dirá de mim.

uma chávena de café e um livro

Convidei para jantar é um projecto da autoria da Ana e o tema deste mês (já adivinharam) é Personagens de livros e/ou filmes. Sherlock Holmes cabe em qualquer das categorias, com os livros (e já agora as séries televisivas) a estarem a anos luz do que tem sido feito no cinema. Um convidado surpreendente. Em todos os sentidos.



Cogumelos e ovo escalfado em tosta

serve 2

para os cogumelos:
1 dente de alho, picadinho
250g de cogumelos frescos (marrons, paris, etc.)
1 colher (sopa) azeite
1 cebolinha nova, fatiada finamente
1 colher (chá) salsa picada

para os ovos:
2 ovos grandes, frescos
1 colher (chá) vinagre vinho branco
pimenta preta
azeite virgem extra

Aqueça o azeite numa frigideira grande com o alho picado. Junte os cogumelos fatiados (se necessário, em duas vezes) e mexa por 2-3 minutos. Adicione a cebola e vá mexendo até os cogumelos estarem cozinhados (5 minutos). tempere com sal e pimenta. Polvilhe com a salsa.

Numa panela à parte, ferva bastante água. Reduza o lume até obter um borbulhar contínuo. Junte o vinagre e uma pitada de sal. Parta o ovo numa tigela e introduza na água com cuidado. Deixe cozer cerca de 3 minutos. Retire com uma escumadeira e coloque num prato com papel absorvente.

Torre 4 fatias de pão. Disponha nos pratos aquecidos. Coloque um ovo escalfado sobre cada fatia de pão torrado. Tempere com pimenta preta moída na altura e um fio de azeite.

17 comentários:

  1. Que ideia engraçada! Gostei bastante do teu post com toda a historia e tambem da tua personagem, o melhor disto foi ter ficado a conhecer o blog da Ana. um beijo

    ResponderEliminar
  2. Que saudades da minha "beloved Loudou". Ao ver as fotos tiradas no museu foi como se me tivesse teletransportado para lá. Saudades de viver nesta cidade encantadora e cheia de rebuliço. Saudades dos doughnuts com custard cream na Patisserie Valerie, em Old Brompton, e das compras em Portobello (a 2 passos de casa), e dos passeios em Richmond Park com a Anna, agarradas a um Self-indulgent Chocolate Cake saído do forno... Fiquei nostalgica!

    ResponderEliminar
  3. Fabulosa participação no passatempo Suzana :D
    Não sou fã de policiais, confesso, mas sou do Mr. Holmes apesar de não conhecer as tantas variações dele de que falas.

    A sugestão para a refeição é completamente adequada... e simplesmente apetecível :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Suzana,
    Esta foi uma escolha que de facto me surpreendeu! É tão engraçado como através dos nossos convidados vamos partilhando também um pouco dos nossos gostos e interesses. Adorei as fotografias que nos transportam imediatemente para dias maravilhosos passados em Londres, uma cidade da qual nunca nos cansamos.
    Imagino o teu convidado a chegar tarde ao teu convite, devorar a tosta em dois minutos, e arrastar-te com ele numa das suas aventuras.

    Sobre os hábitos alimentares dos britânicos ao longo da história vi há pouco tempo uma série/documentário com a Sue Perkins que se chama The Supersizers. Deixo-te o link.
    http://en.wikipedia.org/wiki/The_Supersizers...
    Mais uma vez obrigada pela tua participação.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. Confesso não ser grande adepta de policiais, mas abro algumas excepções, Poirot e Holmes são duas delas.
    Gostei das fotos, do texto e também das tostas.
    Excelente escolha!
    Bj
    Manuela

    ResponderEliminar
  6. Texto, fotos e escolha 5 estrelas! O Jeremy Brett é um caso à parte! Vejo e revejo os episódios sem nunca me cansar. Parabéns!
    Rita Neves

    ResponderEliminar
  7. Gosto de um bom policial. Em tempos fui fã incodicional do Poirot e mais recentemente do Inspector Jaime Ramos, personagem criada por Francisco José Viegas. Por Holmes e pela sua inteligência e perspicácia singulares tenho uma respeitosa deferência. Foi um convidado bastante interessante, sem dúvida e o jantar também. Simplesmentes delicioso.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Suzana, um convidado surpreendente. Confesso não ser fã de policiais, mas abro excepção para o Holmes, em livros ou em filmes. E a sugestão é deveras apropriada. Deliciosa e aconchegante tosta com o ovo escalfado.
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  9. postagem simplesmente deliciosa, querida Suzana! ja fui muito fã dos policiais, que devorava três de cada vez e conseguia nao confundir as tramas. voce me fez lembrar que a 221B Baker Street foi uma das minhas paradas na minha primeira visita à Londres. muitos dos livros do Conan Doyle estao em dominio publico e podem ser lidos/ baixados de graça. otima motivação para ler ou reler, né? um beijo :-*

    ResponderEliminar
  10. Olá Suzana

    As deduções deste peculiar detective também fazem parte das minhas leituras de paixão, na minha adolescência li as suas histórias de fio a pavio. Conan Doyle conseguiu tomar como suas tórridas tardes de verão quando o sol se debatia lá fora para penetrar no meu quarto.
    Gosto de ovos de toda a maneira e feitio. E chá ?! É melhor nem falar.
    Adorei.
    Tenho um italiano na mesa de cabeceira, às tantas ...

    ResponderEliminar
  11. Olá, Suzana,
    gostei muito deste teu empolgante post. E da receita também. :) Não sou leitora de policiais, mas adoro ovos cozinhados de todas as maneiras.

    Confesso que acicataste a minha curiosidade para ler algo de Sir Conan Doyle.

    Beijinhos,

    Paula

    ResponderEliminar
  12. Há personagens que ganham vida própria. Que ultrapassam o seu criador. Sherlock Holmes é uma delas. Gostei muito, Suzana. Do ambiente muito british, do retrato da personagem e da refeição escolhida. Acho que até mr. Holmes faria uma pausa para uma refeição tão apetecível. Parabéns pela participação.
    Um abraço,
    Ilídia.

    ResponderEliminar
  13. Ideia super interessante, é impossível não gostar de Holmes e do seu fiel companheiro - que não é um cão mas tem faro para isso ha ha
    Uma refeição simples mas muito elegante!

    ResponderEliminar
  14. Devorei as histórias de Conan Doyle e Sherlok Holmes!... Foi a minha adolescência ;)
    Adorei a participação e teria tido muito prazer em juntar-me a vós, para essa tosta very british...
    Babette

    ResponderEliminar
  15. Lindas fotos, parabéns.

    Www.levedar.com

    ResponderEliminar
  16. conforta e muito nestas noites frias de inverno
    beijinhos e boa semana

    ResponderEliminar
  17. Olá, cheguei aqui através do blogue Anasbageri e tenho que dar os parabéns por este fantástico espaço, fiquei rendida:)
    Gostei bastante da escolha da personagem, também sou fã de policiais:) E a tosta ficou bem apelativa, o aspeto é delicioso!
    Um beijinho:)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!