4.10.13

As vindimas na Quinta do Gradil

Vindimas na Quinta do Gradil

No que viria a ser um dos últimos verdadeiros dias de Verão, chegamos pela manhã à Quinta do Gradil. É um Sábado de Setembro com um sol radioso e quente que testemunha uma azáfama característica dos dias de festa. As mesas estão postas e o almoço já está no espeto. Por todo o lado, caras sorridentes vestem camisolas laranja. Para os miúdos é uma emoção. De tesouras prontas, lá se ouve com a atenção possível as indicações de segurança. Todos querem começar rapidamente.

De forma mais ou menos ordeira lá seguimos pela vinha a fora. É sempre em frente. Hoje vindima-se a casta tannat, uma das castas tintas produzidas nos 70 hectares a elas dedicados na Quinta do Gradil.

Vindimas na Quinta do Gradil Vindimas na Quinta do Gradil

Tannat é uma casta originária do sul da França, que viajou para a América do Sul e se tornou um símbolo dos vinhos no Uruguai. O nome não engana. Os vinhos produzidos a partir de uvas tannat são marcados por taninos muito presentes. Como dois ou três bagos, enquanto vou apanhando as uvas. São doces e densos. Hei-de reencontrar esse corpo e estrutura ao almoço ao provar o Touriga & Tannat, um dos tintos da Quinta do Gradil.

A nossa vindima rende quase três mil quilos. Como manda a tradição, das uvas por nós apanhadas resultará uma edição especial cujo rótulo será composto a partir dos desenhos dos ajudantes mais novos. O mural toma forma com arco-íris de cor a avançar em todas as direcções. Recebemos a edição do ano transacto, um vinho feito com Syrah e cujo rótulo combina na perfeição com as nossas camisolas laranja. Ainda por abrir, guarda uma refeição em família com um tacho fumegante à mesma mesa.

Vindimas na Quinta do Gradil




Vindimas na Quinta do Gradil Vindimas na Quinta do Gradil

Na minha primeira visita à Quinta do Gradil foram os brancos e um rosé acabado de engarrafar que fizeram as honras de um almoço cheio de conversas e muitas histórias com o vinho como protagonista. Desta feita, reencontro o favorito Verdelho, a estrela do meu Verão em 2013. O calor que se faz sentir neste Sábado de Setembro convida aos brancos mas a minha mente está nos tintos.

A Quinta do Gradil produz um número alargado de castas tintas. Aragonês, Alicante Bouchet, Touriga Nacional, Syrah, Cabernet Sauvignon, Tannat, Alfroucheiro e Castelão são as principais.

Vindimas na Quinta do Gradil

Fico muito agradada com um Cabernet Sauvignon & Tinta Roriz 2010. Para mim, que sou apenas uma aprendiz nesta aventura dos vinhos, é um vinho muito equilibrado. Desconfio que nos há-de fazer boa companhia cá em casa nas estações mais frias que se avizinham.

As vindimas foram muito animadas e fizeram a história de um dia bem passado. Entre a apanha das uvas, vinhos preferidos e um excelente almoço, são as pessoas que fazem da Quinta do Gradil um lugar especial a que é sempre um prazer voltar.

Vindimas na Quinta do Gradil Vindimas na Quinta do Gradil

2 comentários:

  1. Tao gira a descrição da vindima..achei um máximo os rótulos dessa edição especial serem desenhados pelas crianças.

    Beijinhos e bom fds

    ResponderEliminar
  2. Deve ter sido uma experiencia bem interessante.
    Um beijinho a boa semana

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!