14.9.17

Kimya, o laboratório de emoções gastronómicas (e um Negroni perfeito)

Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias

A discussão milenar sobre a relação da comida com a bebida não tem fim à vista. Escolhe-se o que se bebe em função do que se come ou o inverso? Do alto da certeza de quem faz do copo fiel companheiro do prato, pouco importa qual pede qual desde que seja no gastro-bar Kimya. Parte do verdejante Sheraton Cascais, espera-nos um espaço aberto que remete para uma ideia de laboratório onde a química dos cocktails é seguida a partir da cozinha (aberta) com a mesma filosofia. Tubos de ensaio, batas brancas e um arsenal de pinças e pipetas à espera de ser utilizado em átomos e moléculas.

Sem saber por onde começar, valha-nos a existência da Lei de Lavoisier e a Relatividade Especial, a lei da química mais famosa e a teoria não menos conhecida da realação entre tempo e espaço, que dão nome a dois menus de degustação. Para quem tem no Negroni o cocktail predilecto, sai um do-it-yourself muito divertido: Gin, Campari, P.X Sherry e um toque de bitter de laranja. O sentimento de jogo e ilusão para uma experiência total há-de voltar a cada novo prato e começa com o cornetto de camarão em cone de espinafres e repete-se com as divertidas esferificações de azeitona com presunto e um novo cocktail chamado Oliva, onde retornam as azeitonas recheadas de anchova e um toque de azeite.

Kimya, sobre o Negroni perfeito e outras estórias Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias
Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias

No bar trabalha-se metodicamente, com as batas brancas a conferir veracidade ao ambiente de laboratório. Prepara-se um Clear Mary, uma versão irreverente de bloody mary feito com água de tomate e perdendo toda a cor mas nenhum do sabor. Curiosa a abordagem e inteligente o conceito, será certamente preferido por muitos e na nossa mesa há clientes mais que conquistados. Nada que ofusque o meu Negroni, apreciado em pequenos goles e total entrega. Seja o que for que a noite trará, ninguém toca no meu cocktail favorito!



Para comer chega à mesa um ceviche fresco de salmão e manga, bem feito e delicioso mas nada provocador, bem ao contrário de um falso tomate verde, feito de salada de feijão-frade e atum. As emoções vão sendo geridas entre a estranheza e o retorno ao conforto do conhecido, como no caso dos burgers Kimya, recebidos de braços abertos. Ainda resta tempo para o muito recomendável tataki de atum com maionese de wasabi e soja na pipeta, que harmoniza bem com o Penny Royal, o cocktail sem álcool da carta, a pensar nos condutores de serviço.

E eis que se passaram três horas no Kimya. Foi uma experiência fantástica! Pretérito perfeito do indicativo, só o tempo verbal parece incorrecto. Devia ser presente todos os dias, sobretudo nos que se querem especiais e a guardar na memória.

Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias Kymia, sobre o Negroni perfeito e outras estórias
--
Sheraton Cascais Resort,
Rua das Palmeiras, Lote 5, Quinta da Marinha,
Cascais, Portugal

Sem comentários:

Enviar um comentário

Obrigada pelo seu comentário!