17.11.09

O que se leva desta vida

Octopus with Sweet Potato

O que se leva desta vida é um título roubado (leia-se: gentilmente pedido emprestado) à peça em cena no São Luiz. A história? Dizem os autores que é sobre a arte e a ciência da cozinha, sobre a insatisfação permanente e o espírito inventivo de dois cozinheiros que acabam por descobrir que um prato conta sempre a história de quem o cozinhou. É sobretudo uma poderosa metáfora sobre diferentes visões do mundo e como aquilo em que acreditamos forma o modo como nos relacionamos com o que nos rodeia. A acção desenrola-se numa cozinha, mas podia passar-se numa sala de aula, no Parlamento ou à mesa de um café. Trata-se, para os chefs Gonçalo Waddington e Tiago Rodrigues, da criação de um prato e todo o stress que 'rola' na cozinha de um restaurante em plena laboração. É o conflito de dois olhares, duas cozinhas, dois mundos. São os valores de cada um, as distintas perspectivas sobre a vida que os faz defender os seus pontos de vista desavindos e que, afinal de contas, não são obrigatoriamente inconciliáveis.

Fiz há dias este prato. Polvo com batata-doce. Combinação inusitada? Talvez. Mas tão saboroso. Descobri a receita no Cinco Quartos de Laranja, depois de saber que o chef Bertílio Gomes assina um prato de polvo e batata-doce na Casa da Comida. Fomos todos ao teatro na semana passada. Eu gosto mais do que vi a cada dia que passa. A Laranjinha conta o olhar dela sobre a peça aqui.

Octopus with Sweet Potato

Polvo no forno com batata-doce
Adaptação de meia receita, o original no Cinco Quartos de Laranja

Para 3-4 pessoas

750 gr polvo, cabeça e tentáculos separados
750 gr batata-doce, às rodelas (usei com casca, bem lavadas)
1 cebola média
1-2 dentes alho
300 gr tomates
1 folha louro
100 ml vinho branco
50 ml azeite
salsa picada
1/2 colher chá colorau
sal e pimenta preta moída na altura

Coloque o polvo num tabuleiro de ir ao forno e tempere com sal e pimenta. Junte as batatas-doces, a cebola, os alhos e o tomate picados, a folha de louro, colorau, vinho branco e o azeite. Polvilhe com salsa picada e leve a assar em forno a 170ºC durante cerca de 45 minutos a uma hora. Sirva de imediato.

7 comentários:

  1. Esta e uma das muitas maneiras de comer polvo. Nunca experimentei por achar que os sabores nao sao do meu agrado, mas que o teu prato ficou com bom aspecto, la isso ficou. Essa peca que falas deve ser muito interessante, agora fiquei com curiosidade.

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Ola Suzana,

    Gostei muito do seu blog. Essas receitas então, sem comentários, pois são fantásticas! Aproveite e faça uma visita ao meu.

    Bjus,
    Dani

    ResponderEliminar
  3. Sobre a peça estou ainda a convencer o marido a acompanhar-me... lol
    Sobre a receita, não a conhecia! Mas que deve ficar muito boa, isso deve.
    Vou guardar porque adoro polvo!
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  4. Olá Suzana,

    obrigada pela referência. Ficou com um aspecto lindo.

    Beijinhos,

    ResponderEliminar
  5. fotografias lindas !! receitas otemas!
    ja esta na lista dos meus blogs !

    :)

    ResponderEliminar
  6. Que fotos mais lindas desse polvo! Adoro batata-doce, deve ter ficado um espetáculo!

    ResponderEliminar
  7. hum ocm batat doce fica aqui uam bela ideia:-)
    que bonitoq ue ficou.
    beijinhos

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!