31.7.11

Azeite, farinha, ervas e uma tarte de tomate, curgetes e ricotta

Tarte fina de tomate e ricotta //Tomato Ricotta Tart

Julho de todos os sabores. Doce, salgado e agridoce. Temperado com frio e vento, trabalho e férias, luz e escuridão. Cara e coroa. Dias felizes. Mar e sol. Livros e mais livros. Boas leituras. Horas sem fim. Julho de todos os silêncios, em que A Voz se calou. Penas e pedras. Discos perdidos. Rádio ligada. Celebrações. Encontros familiares e muitas gargalhadas. Tudo e mais alguma coisa.

Um banco com vista para o infinito. Não importa onde ou quando, há no mar que caminha para o céu uma garantia de aconchego. É como se em qualquer parte pudéssemos reconhecer o cantinho de água onde desde sempre molhamos os pés e a nesga de céu azul onde o olhar pode descansar. Uma espécie de chegada ao destino, um retorno continuado a um lugar conhecido.

vista de mar
Tarte fina de tomate e ricotta //Tomato Ricotta Tart

Diz o provérbio que três é a conta que Deus fez. Um triângulo. Uma troika. Três. Como se a conta fosse redonda. Perfeita na sua harmonia de vértices e ângulos rectos e agudos, numa geometria de vontades. Ou de sabores. De sons. De cores. Tomate, curgetes e ricotta. 3 dos meus ingredientes favoritos para comemorar o 3º aniversário do Figo Lampo e fazer votos de muitos e longos anos de vida!

Tarte fina de tomate e ricotta //Tomato Ricotta Tart



Tarte de tomate, curgetes e ricotta
Ligeiramente adaptado de Saveurs, n° 183 de Maio 2011

para a massa:

250 g farinha
80 ml azeite
50 ml vinho branco (seco)
50 ml leite
½ colher (chá) manjericão seco
½ colher (chá) sal

150 g queijo ricotta
2 colheres (sopa) azeite
4-5 folhas manjericão fresco, picadas
1-2 tomates maduros
1-2 curgetes pequenas (com ou sem flores)
2 colheres (sopa) pesto de rúcula
sal e pimenta preta moída na altura

Coloque a farinha, o manjericão seco e o sal numa tigela. Abra uma cova ao meio e verta o vinho branco, o leite e o azeite. Mexa com uma colher de pau até a massa formar uma bola. Deite sobre uma superfície enfarinhada e amasse ligeiramente apenas para agregar. Cubra com película e leve ao frigorífico durante cerca de 1 hora.

Pré-aqueça o forno a 180°. Corte os tomates em rodelas e as curgetes longitudinalmente. Se utilizar as flores, lave-as cuidadosamente e retire a parte interior. Misture o queijo ricotta com o azeite e o manjericão e tempere com sal e pimenta.

Prepare a tarteira de fundo amovível (ou utilize formas para tartelettes individuais). Estenda a massa com um rolo e forre a(s) formas(s). Retire o excesso passando com o rolo por cima para cortar o rebordo. Pique com um garfo. Espalhe a mistura de ricotta e disponha o tomate e as curgetes por cima. Leve ao forno 30 minutos ou até a massa estar cozida. Quando retirar a tarte do forno, distribua o pesto por cima e sirva.

15 comentários:

  1. Fotos maravilhosas amiga muito mesmo...adorei...bjokinhas

    ResponderEliminar
  2. Querida amiga, o cenário, as palavras, a tarte, tudo perfeito! Assim apetece sempre comemorar. : ) Obrigada por teres arranjado um tempinho para participar. Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  3. Vou ficar a sonhar com esse banco que olha para o infinito...e com uma mão a segurar um pedaço de tarte para fazer o gosto aos outros sentidos! Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. E engracado: durante muitos anos, sempre que viajava, procurava um desses bancos com vista para o infinito. Nao sei por que o fazia, talvez pensasse que, caso me perdesse, bastaria procurar um desses bancos com vista para o infinito, para saber o caminho para casa. E o teu banco com vista para o infinito, fez-me descobrir o caminho para uma maravilhosa tarte! fiquei com vontade de faze-la esta noite!
    beijinhos
    Sofia

    ResponderEliminar
  5. Tudo me parece perfeito, a tarte, o banco e a escrita.
    Estou de regresso, mas com vontade de ficar num dos vários bancos com vista para o infinito que encontri pelo caminho.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. o banco é muito convidativo para saborear uma "tartezita", enqunto se repousa os olhos no infinito
    Obrigado por ter antecipado as férias que não vou ter :)

    ResponderEliminar
  7. Sentada nesse banco, a olhar o mar com uma tarte de tomate por companhia, não vejo momento melhor nem mais relaxante.
    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
  8. Continuo sem encontrar ricotta no meu caminho mas gosto de tomates e courgettes :)

    ResponderEliminar
  9. Querida Suzana
    Do lado de cá do infinito fiquei a sonhar com tão charmosa tarte :)
    Beijos

    ResponderEliminar
  10. Que delicia de post. Me apaixonei pelas suas fotos. Parabéns.

    ResponderEliminar
  11. Eu sentava-me nesse banco, de pernas cruzadas a encarar o mar, com uma tartinha na mão. E era feliz! :)
    Com tomate em todos os cantos da minha cozinha, esta não me escapa mesmo. :)
    Bjs

    ResponderEliminar
  12. Que texto lindo! Uma poesia!
    Ele e a receita "made my day"
    Bj,
    Lylia

    ResponderEliminar
  13. ESSAs imagens bem uqe chamam o verao:-)

    esta bem apetitosa esta tarte
    beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Parecem-me muito boas :) E já se comiam :D

    ResponderEliminar
  15. Achei a receita maravilhosa, mas a foto com o banco à beira mar, é sem dúvida uma excelente foto de um lugar maravilhoso, arrisco dizer que é tirado no litoral alentejano...talvez seja da minha saudade...
    parabéns o blog está muito bom

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!