31.12.14

2014 foi assim

2014 foi assim



São listas, balanços e reflexões sobre os últimos 365 dias. Dos momentos passados ficam apenas os que a memória salvou do esquecimento, por razões tantas vezes obscuras, quase sempre explicadas pelos afectos, pelas pessoas com quem foram partilhadas ou pela magia do momento. As estórias por detrás de um cheesecake de abacate com frutos silvestres ou de uma simples salada de aipo e cenoura ou de umas panquecas de milho num Domingo de sol. Os pratos do nosso dia-a-dia, comidos às colheradas num potinho de panna cotta de chocolate branco e morangos em Moscatel ou em pequenas dentadas de tomate recheado com queijo-creme e ovo cozido ou os escassos dias de praia, à boleia de umas lentilhas com ovos picantes. Ficam ainda os momentos de partilha em torno de um estufado de lulas com chouriço, de uma tigela de sopa de aipo e cogumelos ou de um bonito challah.

2014, à nossa mesa, foi assim.

Como todas as escolhas, existe pouco de absoluto nas que aqui se fazem. Porque os vinhos entraram de mansinho nas nossas paixões e alguns ficam connosco para o novo ano, esta é a lista incompleta (como só pode ser) dos nossos preferidos:

Monte Branco, 2011
Quinta do Gradil, vindimas Quinta do Gradil, Branco 2010, Reserva o vinho entornado... Vinhos 2014, Port Tawny

O excelente Monte Branco 2011, cuja distinção e elegância pautam um Alentejo novo e cheio de promessas, é um dos tintos especiais com que me cruzei este ano que são difíceis de esquecer. Entre vinhas e vindimas fica-se a perceber melhor a natureza de muitos projectos, como a Quinta do Gradil, onde volto sempre com um sorriso, sobretudo se à minha espera estiver este doce Branco Reserva 2010, já com história e estórias para contar. Sem o vinho entornado, este foi um ano de descoberta no que ao Porto diz respeito. É o Port Tawny 20 anos que provei na visita às caves Graham's que mais recordo. No coração guardo ainda o inesquecível Quinta do Monte Xisto 2012 e o meu encontro com a família Nicolau de Almeida; o surpreendente Esporão Reserva Branco 2013 e as memórias da nossa passagem pela Herdade do Esporão; a excelência do Montes Claros Garrafeira 2011 e a extraordinária visita à Adega de Borba; ou a leveza e frescura de um branco do Douro, Vale da Poupa Vinhas Velhas 2011, no jantar do Sheraton Algarve.

Vinhos 2014

Feliz 2015!

4 comentários:

  1. Suzana, que 2015 continue a trazer assim boas inspirações e estórias que teimam em ficar na memória. Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  2. Suzana, que 2015 seja um ano bom, recheado de pequenos grandes momentos.

    Um beijo,

    Ilídia

    ResponderEliminar
  3. Amiga Suzana, que 2015 vos traga tudo o que mais desejam.
    Um beijinho e Feliz Ano Novo

    ResponderEliminar
  4. Um bom ano Suzana, que venham muitos mais anos assim como este. um beijo

    ResponderEliminar

Obrigada pelo seu comentário!